Na era do Estado Novo

A Casa do Povo de Ribeira do Neiva (CPRN) nasceu a 14 de setembro de 1943, na atual União de Freguesias de Ribeira do Neiva. Inicialmente, durante a vigência do Estado Novo, esta associação tinha como objetivo contribuir para o desenvolvimento económico-social e cultural das comunidades locais, bem como assegurar a representação profissional e a defesa dos legítimos interesses dos trabalhadores agrícolas.

Nos anos 80

A década de 80 marca o início de uma nova era para a CPRN, enfatizando-se o seu papel no desenvolvimento social e cultural. É nesta fase que surgem as principais respostas sociais, que ainda hoje fazem parte do campo de ação desta instituição: o Centro de Atividades de Tempos Livres (CATL), a Estrutura Residencial para Idosos (Lar de 3.ª idade) e o serviço de apoio ao domicílio.

Nos anos 90

Os anos 90 foram pautados pela manutenção dos serviços que se tinham criado até então e pelo projeto de construção de um novo edifício que garantisse uma ampliação desses serviços e o seu desenvolvimento. Assim, em 2001, nasceu o edifício onde hoje se concentram o Lar, o CATL e os serviços administrativos da CPRN. De realçar, que anos antes já havia sido construída uma primeira “casa”, em Duas Igrejas, tendo sido esta a sede da CPRN até então.
Em 2001 movem-se todos os recursos e serviços para a “nova casa”, a escassos metros do anterior edifício, que albergava por essa altura o posto médico de Ribeira do Neiva e a academia de música do CATL (ainda em funcionamento no mesmo prédio).

No século XXI

O ano 2001 inicia uma nova fase desta Casa que terá, a partir daí em diante, maior capacidade de prestação de serviços e um alargamento das suas respostas sociais. O início do século XXI trouxe também novos desafios e atividades de âmbito cultural: a organização de feiras com produtos regionais é exemplo disso, tendo mobilizado uma grande parte da comunidade de Ribeira do Neiva para a revitalização de tradições e produtos que gravitam em torno da agricultura endêmica. As iniciativas de âmbito cultural foram-se multiplicando: peças de teatro, musicais, mercados de Natal, concertos, programas de campos de férias, organização de eventos públicos diversos para a comunidade (festa do dia da criança, festa do idoso, etc.), entre outros.
A última década é o expoente máximo do crescimento ininterrupto da CPRN, com a coordenação de novos projetos de âmbito social. Estabelecem-se protocolos com o Instituto de Segurança Social, resultando daí, por exemplo, o acompanhamento dos beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI) do concelho de Vila Verde. O investimento em projetos vai mais longe e, mais recentemente, a CPRN assume-se como entidade executora de projetos como o CLDS-3G Vila Verde e a RLIS. Com estes projetos a CPRN passa a ter uma intervenção que transpõe as fronteiras de Ribeira do Neiva, passando a prestar serviços em todo o concelho de Vila Verde, junto de milhares de pessoas.

Em resumo...

E o futuro?

“O futuro, esse é uma casinha de surpresas”, mas estamos convictos de que será brilhante e tão valioso quanto o passado. Iremos, seguramente, continuar a trabalhar para a perenidade desta Casa.